II Grande Rali das Serras do Norte
26 a 28 de Janeiro


Horácio Macedo inscreveu-se novamente no Campeonato Nacional de Conductores, na Categoria de Grande Turismo, representando, uma vez mais, o Sporting Clube de Portugal, utilizando o seu habitual Ferrari 250 GT #2035GT.
O II Grande Rali das Serras do Norte foi a primeira competição a contar para o Campeonato Nacional de 1962. Devido a anteriores diferendos mal sanados entre Horácio Macedo e o Académico Clube do Porto, em parte motivados pelas regras da época relacionadas com os "handicaps" atribuídos em determinadas provas, Horácio Macedo viu a sua inscrição ser recusada pelos organizadores deste rali, que foi organizado por esse clube.
Devido a este facto, e porque esta competição não respeitou em absoluto o regulamento desportivo Nacional de 1962 (no Artº 4º, parágrafos 1º e 2º), que refere que o poder de recusar uma inscrição depende exclusivamente do organizador do Campeonato e não do organizador da prova em questão,o ACP resolveu excluir esta prova do Campeonato. Esta decisão foi comunicada pelos delegados do ACP presentes nesta competição, mesmo na altura em que os concorrentes partiam para o rali. 
Devido a este facto, e também pelo sucedido na Volta a Portugal de 1961, em que o Clube 100 à Hora penalizou injustamente o piloto de Lisboa, que apelou e viu ser-lhe dada razão pelo ACP, fez com que Horácio Macedo não se inscrevesse para a XIII Volta a Portugal, que se disputou entre 15 e 18 de Fevereiro.
_________________________________________________________________________________

 XI Rali da Montanha
5 e 6 de Maio


Um rali que contou para o Campeonato Nacional, sendo que após a não participação de Horácio Macedo no II Grande Rali das Serras do Norte, na XIII Volta a Portugal, a não realização da V Rampa da Falperra e da VIII Volta ao Minho, acabou por ser a primeira competição a contar para o Nacional de Condutores que Horácio Macedo alinhou neste ano de 1962. A organização deste rali esteve a cargo do Estrela e Vigorosa Sport e foi composta por uma prova de estrada e de regularidade, uma rampa, um circuito (Vila do Conde), provas de perícia e prova de arranque.
Horácio Macedo destacou-se desde logo na prova de rampa, ao averbar o melhor tempo absoluto. Mesmo na prova de regularidade, foi um dos dois únicos concorrentes a conseguir efectuar o percurso sem penalização 

Os resultados de Horácio Macedo (Nº3) nas provas complementares:

Prova de Arranque - 12,1'' (3º Lugar)
Rampa - 57,10'' (1º Lugar)
4ª Complementar (Perícia)- 6,76'' / 6,00'' / 13,70''
Circuito - 14'.44,0'' (2º lugar)


Classificação Final:
(Geral)

1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT (1º Categoria de Grande Turismo / 2º Grupo, 3ª Classe

_________________________________________________________________________________

VII Grande Rali a Sintra
19 e 20 de Maio

Organizado como habitualmente pelo clube Arte e Sport, este rali esteve dividido em três etapas, e teve um percurso total de 452,900 Km, para os concorrentes que partiram de Sintra, e 457,900 para os que partiram de Santarém, e que foi o local de concentração para o percurso comum. De entre as sete complementares realizadas de destacar a realização de uma prova de perícia na Granja do Marquês, o circuito da Praia das Maçãs e a Rampa da Pena.
Horácio Macedo teve uma exibição mais apagada nesta prova, não conseguindo terminá-la em lugares de destaque. Na geral foi 12º, e na Categoria de Grande Turismo foi 2º da 4ª Classe, atrás do Mercedes 300 SL de Luís Fernandes. Este Rali foi ganho por Manuel Gião, ao volante de um Austin Cooper.

_________________________________________________________________________________

XVI Prova de Velocidade do Automóvel Clube de Portugal
Circuito de Lordelo do Ouro
2 e 3 de Junho



Numa organização do ACP, esta competição foi destinada a automóveis de Grande Turismo (Taça ACP)  e a de Turismo (Taça Jorge Novais), contando para o Campeonato Nacional de Condutores.
Como já referimos anteriormente, a partir de determinada altura (finais de 1961), o Ferrari 250 GT #2035GT foi pintado de dourado*. Estas fotos a cores mostram esse novo visual do Ferrari 250 GT de Horácio Macedo nesse Circuito de Lordelo do Ouro, que também contou com a presença do Lotus Elite de Achiles de Brito; os Jaguar E de Daniel Magalhães, Manuel Nogueira Pinto e Luís Fernandes; o Porsche 356B de Basílio dos Santos e o Mercedes 300 SL de Carlos Faustino.
A nova pista de Lordelo do Ouro tinha um perímetro de 1509 metros, com uma largura entre os sete e os 12 metros. Foram disputadas três corridas, duas de Turismo e uma de Grande Turismo.
Apesar de se disputar numa pista lenta (média de 83,657 Km/h), Horácio Macedo não teve dificuldades em vencer a prova, dominando claramente os adversários, sendo o piloto do Ferrari 250 GT o único a perfazer 56 voltas.

Classificação Final:
Taça ACP

1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 56 Voltas / 1h 00' 36,44'' / 83,657 Km/h
2º - Luís Fernandes - Jaguar E - 55 Voltas / 1h 00' 48,27'' / 81,897 Km/h
3º - Daniel Magalhães - Jaguar E - 55 Voltas / 1h 00' 49,60'' / 81,867 Km/h
(Classificados mais dez concorrentes)

______________________________________________________________________________

V Grande Rali do Sporting
16 e 17 de Junho


Este rali, que contou para o Nacional de Condutores, teve uma extensão de 790,400 Km e esteve dividido em seis etapas. Na prova de estrada, Horácio Macedo foi um dos que menos penalizou, juntamente com Rui Martins da Silva, António Peixinho, Carlos Faustino e Cipriano Flores. A prova complementar de Regularidade foi realizada num troço da estrada Alcobaça-Rio Maior, a de Perícia em Viseu e em Leiria, para além de duas rampas.
Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT venceram a prova à geral, com um total de 252,90 pontos, seguido por Basílio dos Santos em Porsche com um total de 263,85 pontos.

_________________________________________________________________________________

IV Volta à Ilha da Madeira
1 de Julho

Horácio Macedo venceu esta edição da Volta à Madeira. Uma competição que contou para o Campeonato Nacional de Condutores.
_________________________________________________________________________

II Grande Circuito da Fortaleza
1 de Julho



Realizado em Luanda, esta competição foi organizada pelo ATCA (Automóvel e Touring Clube de Angola), e do programa constaram duas corridas, uma dedicada aos automóveis de Turismo e outra para os de Grande Turismo e Sport. Esta última teve um total de 50 voltas e 127,500 Km. Este presente o Ferrari 250 GT #1613GT pertença do ATCA, e pilotado pelo piloto angolano, Álvaro Lopes. No final ficou classificado em terceiro lugar, e primeiro da categoria de Grande Turismo, atrás dos Maserati de Sport que pertenciam igualmente ao Clube angolano.

Classificação Final:
Corrida Grande Turismo e Sport

1º - Flávio Santos - Maserati - 103,025 Km/h
2º - Maximino Correia - Maserati 
3º - Álvaro Lopes - Ferrari 250 GT #1613GT 
(Classificados mais dez concorrentes)

_________________________________________________________________________

Autódromo de Lourenço Marques
22 de Julho


Na inauguração do Autódromo de Lourenço Marques, a oportunidade de ver de novo em acção o Ferrari 250 GT #1613GT do ATCA (Automóvel e Touring Clube de Angola). Desta vez pilotado pelo angolano Álvaro Lopes, que esteve inscrito para a corrida destinada aos automóveis de Grande Turismo. Organizado pelo ATCM (Automóvel e Touring Clube de Moçambique), este evento foi constituído pela realização de quatro corridas, uma destinada aos automóveis de Turismo, outra para os de Sport, outra dedicada aos de Corrida e finalmente outra para os de Grande Turismo. Nesta estiveram inscritos um total de 31 concorrentes, tendo alinhado 25. 
Logo no início da corrida de Grande Turismo, formou-se um grupo de pilotos constituído por Frazer Jones (Porsche Carrera), Manuel Nogueira Pinto (Jaguar E) e Álvaro Lopes no Ferrari 250 GT. Na 16ª volta, Frazer Jones abandonou a corrida devido a uma avaria mecânica no seu Porsche Carrera. Nogueira Pinto e Álvaro Lopes mantiveram as posições até ao final das 30 voltas da corrida.

Classificação Final:
Categoria GT

1º - Manuel Nogueira Pinto - Jaguar E - 30 Voltas / 51'.48,5'' 
2º - Álvaro Lopes - Ferrari 250 GT #1613GT - 30 Voltas / 51'.56''
3º - Winston  Kingwill - Alfa Romeo - 29 Voltas / 52'.28'' 
(Classificados mais dezassete concorrentes)

_________________________________________________________________________________

XIII Rali de S. Pedro de Moel
5 de Agosto


Este rali não contou para o Campeonato Nacional, e foi estruturado segundo uma "Concentração Turística", tendo sido organizado pelo Clube Arte e Sport.
Estiveram inscritos 56 concorrentes, sendo 32 deles do Grupo de Turismo e 24 do Grande Turismo, sendo um deles Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT, que conseguiu aqui mais uma vitória à geral, com um total de 823,8 pontos, seguido por Manuel Gião com 850,4 pontos. 
Na época foi instituída a Taça Vítor Gallo*, que seria entregue ao concorrente ao Rali de S. Pedro de Moel que conseguisse nas edições de 1962, 63 e 64 o maior número de pontos. Nesta altura, após o Rali de S. Pedro de Moel de 1962, Horácio Macedo era o primeiro nesta classificação, com 30 pontos, logo seguido por Manuel Gião com 29.

*Uma homenagem ao empresário vidreiro da Marinha Grande e entusiasta dos automóveis, Vítor Manuel Amaro dos Santos Gallo, falecido a 30 de Maio de 1961 num acidente de viação, 



Classificação Final:
(Geral)


1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 823,8 Pontos
2º - Manuel Gião - Austin Cooper - 850,4 Pontos
3º - Carlos Freitas Morna - Austin Cooper - 858,6 Pontos
(...)

Classificação da Categoria de Grande Turismo:
(Classe 10)

1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 823,8 Pontos
2º - Joaquim Santos Mendonça - Mercedes 
3º - António Nina - Jaguar E 
(...)


_________________________________________________________________________


II Rali à Praia da Areia Branca
12 de Agosto

Poucos concorrentes estiveram inscritos para esta prova organizada pela Secção de Motorismo do Sporting Clube de Portugal. Horácio Macedo esteve presente, alcançando a segunda posição da classificação final, atrás de Manuel Gião no Austin Cooper.



Classificação Final:
(Geral)

1º - Manuel Gião - Austin Cooper - 73,95 Pontos
2º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 74,84 Pontos
3º - Carlos Freitas Morna - Austin Cooper - 77,91 Pontos
(...)

Classificação da Categoria de Grande Turismo:
(II Grupo)

1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT 
2º - Joaquim Santos Mendonça - Mercedes 300 SL
3º - Francisco Veloso Matias - Porsche 

(...)
_________________________________________________________________________
Notas:
  • A curiosidade de Horácio Macedo ter participado em duas provas, o VI Rali do Vinho do Porto, a 9 de Setembro, e o IV Rali Abertura do Sporting Clube de Portugal, ao volante de um BMW 700 (Da Categoria de Turismo). Venceu as duas competições.
  • Nesta altura (Após a IV Volta à Ilha da Madeira, última competição disputada a contar para o CNC) o Campeonato Nacional de Condutores era liderado, na Categoria de Grande Turismo, por Horácio Macedo, com um total de 57,74 pontos, seguido por Fernando Basílio dos Santos com 57,35 pontos e Luís Fernandes com 50,55 pontos. De notar que as competições, VIII Volta ao Minho, V Rampa da Falperra e XIII Circuito de Vila Real, não se chegarão a efectivar. Nesta altura faltavam disputar mais duas provas a contar para o Campeonato, a Rampa da Arrábida (13 de Outubro) e a Rampa de Santa Cristina do Couto (25 de Novembro).
_________________________________________________________________________

I Circuito de Montes Claros
29 e 30 de Setembro

O 250 GT #1613GT de volta às competições em Portugal Continetal

O Clube 100 à Hora foi o organizador do I Circuito de Montes Claros, um traçado desenhado nos arruamentos do Parque Florestal de Monsanto. Tinha um perímetro de 2730 metros, e nesta primeira edição foi composto por três corridas de automóveis. A dedicada aos automóveis de Grande Turismo, com mais de 2000 cc, foi disputada em conjunto com os automóveis de Sport. Teve 40 voltas (109,2 Km). Horácio Macedo não se inscreveu para esta prova, mas esteve presente o outro Ferrari 250 GT existente em Portugal na época, o #1613GT do ATCA, desta vez pilotado pelo angolano Maximino Correia. Naturalmente, e no final da primeira volta, surgiu no comando o Porsche (Sport) de Joaquim Filipe Nogueira, no entanto, e logo na 2ª volta, Manuel Nogueira Pinto ultrapassou o piloto do Porsche (Sport) e não largou mais o comando da corrida até ao final. Maximino Correia logrou terminar a corrida no 3º lugar, logo atrás de Mário Araújo Cabral num Lotus (Sport).


Classificação Final:
Grande Turismo + 2000 cc / Sport

1º - Manuel Nogueira Pinto - Jaguar E - 40 Voltas / 102,693 Km/h 
2º - Mário Araújo Cabral - Lotus - 40 Voltas / 102,382 Km/h 
3º - Maximino Correia - Ferrari 250 GT #1613GT - 39 Voltas / 99,359 Km/h
4º - Cipriano Flores - Porsche - 35 Voltas / 88,826 Km/h

_________________________________________________________________________________

Rampa da Arrábida
13 de Outubro

Novamente o Clube 100 à Hora organizou uma competição, desta feita a contar para o Nacional de Condutores. Horácio Macedo esteve presente com o seu Ferrari 250 GT. Curiosamente, um outro piloto, Carlos Faustino, esteve inscrito com três automóveis, sendo que um deles era um Ferrari, no entanto acabou por alinhar somente com um deles, um Volvo.
Horácio Macedo e o Ferrari 250 GT venceram mais uma vez, deixando o Maserati de Álvaro Lopes a sete segundos.


Classificação Final:

1º - Horácio Macedo - Ferrari 250 GT #2035GT - 2' 07,18'' (1º da Categoria GT)
2º - Álvaro Lopes - Maserati - 2' 14,42''
3º - José Baptista dos Santos - Alfa Romeo - 2' 14,79'' (1º da Categoria Turismo)
4º - Rui Martins Silva - Alfa Romeo - 2' 15,49''
(...)
_________________________________________________________________________
Notas:
  • Nesta altura (Após a Rampa da Arrábida) o Campeonato Nacional de Condutores era liderado, na Categoria de Grande Turismo, por Horácio Macedo, com um total de 69,14 pontos, seguido por Fernando Basílio dos Santos com 62,38 pontos. A Categoria de Turismo era liderada por José Baptista dos Santos com 71 pontos. O vencedor absoluto do Campeonato Nacional de Condutores (Encontrado entre aquele piloto com maior número de pontos entre a categoria de Turismo e Grande Turismo) estava assim ainda por definir. Para o final do campeonato faltava disputar a Rampa de Santa Cristina do Couto (25 de Novembro).
_________________________________________________________________________________

(Em Actualização)